O tradicional acarajé acaba de passar por uma inovação para agregar valor e atender a outros mercados?

O empresário baiano Ubiratan Sales explica que comprava o acarajé das tradicionais baianas de Salvador, mas ao tentar leva-los para amigos que residiam em outros estados, na maioria das vezes o produto azedava em virtude do tempo passado nas conexões entre os voos.

“Eu trabalhava em uma empresa de alimentos que vendia salgados. A partir daí, com o apoio de engenheiros de alimentos e depois de oito meses de trabalho, conseguimos produzir o acarajé congelado, preservando o sabor e a crocância dos quitutes vendidos nos tabuleiros”, garante Ubiratan.
O kit de acarajé congelado é vendido em uma caixa e contém nove unidades do bolinho, um saco com vatapá congelado e outro com as porções de camarão seco e defumado temperado com dendê, cebola, alho e tempero verde, além da porção de pimenta. Tanto o vatapá quando o camarão podem ser aquecidos em banho maria ou em temperatura ambiente. Mas para garantir a crocância dos bolinhos de acarajé eles devem ser descongelados em forno elétrico ou a gás.
A caixa com nove unidades chega ao consumidor com preço entre R$ 9,50 e R$ 11. A caixa maior, com 40 unidades, fica em torno de R$ 40. De acordo com o empresário, o sucesso do acarajé congelado se deve à qualidade e a boa origem dos ingredientes. O camarão, por exemplo, vem de criatórios.

acaraje_congelado

“Percebi que nosso grande mercado era, na verdade, formado por supermercados fora da Bahia, além dos grandes eventos, como os organizados pela Bahiatursa em outros estados; lojas de conveniência em Salvador; vendas por telefone e os camarotes no Carnaval baiano. Tivemos camarote que encomendou 7,5 mil acarajés. Em setembro de 2008 vendemos 2.666 caixas de acarajés para a rede Sam´s Club de São Paulo”, comemora o empresário, que está em negociação com a Infraero para montar uma revenda do acarajé congelado no aeroporto de Salvador.

About these ads